Câmara de Almada vai reabilitar mais de 80 estradas

26/02/2019

Entre o pacote alargado de obras, está incluída a reabilitação de toda a zona do Caramujo e Romeira e Avenida Rainha Dona Leonor, na Cova da Piedade, e em vias da Charneca. São obras que a anterior maioria CDU deixou por fazer, diz o vereador Miguel Salvado

A Câmara de Almada aprovou o lançamento de seis empreitadas de melhoria da rede viária do concelho, num investimento de 4,1 milhões de euros, que inclui a reabilitação de mais de 80 estradas.

“Trata-se de um investimento que pretende reabilitar várias estradas e ruas do concelho, muitas delas reclamadas há muitos anos pelos munícipes. São estradas que estão num estado de degradação bastante acelerado, uma situação que herdámos do anterior executivo municipal [liderado pela CDU]”, avançou à Lusa o vereador da Rede Viária e Logística.

Miguel Salvado (PSD) referia-se ao investimento aprovado na quarta-feira, em reunião de Câmara, que inclui três empreitadas em pavimentos rodoviários e pedonais no valor de 2,7 milhões de euros, e outras três empreitadas relacionadas com a sinalização horizontal e vertical, no montante de 1,4 milhões de euros.

De acordo com o vereador, só a nível de pavimentação são “mais de 80 intervenções” em várias freguesias do concelho de Almada

Será reabilitada “toda a zona do Caramujo e Romeira e a Avenida Rainha Dona Leonor”, na Cova da Piedade, e também em vias da Charneca da Caparica estão previstas “imensas intervenções”.

A aprovação das empreitadas de obras públicas, sublinhou, permite que o município possa lançar os concursos e “avançar nos próximos meses com importantes intervenções”.

Além das obras nas estradas e ruas do concelho, a autarquia revelou um investimento de cerca de um milhão de euros em dez novos equipamentos para a Divisão de Infraestruturas Viárias, uma vez que os existentes se encontram “inoperacionais ou frequentemente avariados devido à sua antiguidade”.

“Herdámos uma frota muito envelhecida, em que a idade média ronda os 17 anos, por isso, temos neste momento um investimento muito grande, à volta de um milhão de euros, para a renovação de vários equipamentos da frota, como uma motoniveladora, duas retroescavadoras, um cilindro e uma pavimentadora”, avançou.

Neste sentido, Miguel Salvado explicou que os novos equipamentos são para administração do município, para que seja possível “intervir directamente no território e na manutenção das infraestruturas viárias”.

Lusa 

Intervenções na praia de Sesimbra rondaram os 140 mil euros

26/02/2019

As tempestades e as fortes marés que assolaram a frente marítima de Sesimbra, no último Inverno, causaram diversos estragos ao longo de toda a marginal, motivo que levou a autarquia a preparar um conjunto de intervenções neste local, num investimento global de 140 mil euros.

A Câmara de Sesimbra recebeu uma comparticipação de 85 mil euros para fazer face a estes estragos, no entanto, como o investimento foi superior, a diferença foi suportada pelo orçamento municipal.

Na altura, o muro da praia ficou danificado em vários troços, as rampas de acesso foram destruídas e muitas das infra-estruturas de apoio, como os passadiços e a Biblioteca de Praia da Califórnia, ficaram bastante destruídas.

Após estes acontecimentos, o presidente da Câmara Municipal, acompanhado por vereadores e técnicos da autarquia, representantes da Agência Portuguesa do Ambiente, Autoridade Marítima Nacional e Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, fez uma visita aos locais afectados para avaliar os estragos e preparar um conjunto de intervenções necessárias à segurança dos cidadãos e garantir o funcionamento da época balnear.

Apesar de serem intervenções complexas, que exigiram recurso a maquinaria pesada, e obrigaram à construção de um novo passadiço e à instalação de um novo quiosque para a Biblioteca de Praia da Califórnia, as obras ficaram praticamente todas concluídas antes de Julho, altura em que as praias recebem um número maior de visitantes.

A Câmara de Sesimbra recebeu uma comparticipação de 85 mil euros para fazer face a estes estragos, no entanto, como o investimento foi superior, a diferença foi suportada pelo orçamento municipal.

Na altura, o muro da praia ficou danificado em vários troços, as rampas de acesso foram destruídas e muitas das infra-estruturas de apoio, como os passadiços e a Biblioteca de Praia da Califórnia, ficaram bastante destruídas.

Após estes acontecimentos, o presidente da Câmara Municipal, acompanhado por vereadores e técnicos da autarquia, representantes da Agência Portuguesa do Ambiente, Autoridade Marítima Nacional e Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, fez uma visita aos locais afectados para avaliar os estragos e preparar um conjunto de intervenções necessárias à segurança dos cidadãos e garantir o funcionamento da época balnear.

Apesar de serem intervenções complexas, que exigiram recurso a maquinaria pesada, e obrigaram à construção de um novo passadiço e à instalação de um novo quiosque para a Biblioteca de Praia da Califórnia, as obras ficaram praticamente todas concluídas antes de Julho, altura em que as praias recebem um número maior de visitantes.

Fonte: Diário da Região

Restaurante amigo do ambiente na frente ribeirinha

26/02/2019

Para além de espaço de restauração, o Brisa Baía encaixa-se nos projectos de requalificação do espaço público e desenvolvimento económico local. Na calha estão mais espaços similares

O novo restaurante Brisa da Baía, frente à Quinta da Fidalga, em Arrentela, foi inaugurado na passada semana e está inserido na estratégia de regeneração das frentes ribeirinhas do concelho do Seixal.

Trata-se de um projecto desenvolvido pela Câmara Municipal para a “requalificação do espaço público, usufruto da população e, ao mesmo tempo, potenciar o desenvolvimento económico”, explica a autarquia em nota de imprensa. Entretanto, a exemplo do que sucedeu para este novo espaço, a Câmara “vai promover em breve mais uma hasta pública para a construção de um estabelecimento similar na frente ribeirinha de Amora”.

Adianta a autarquia que este novo restaurante será futuramente “um equipamento central do Laboratório Vivo para a Descarbonização (LvpD)”, onde poderão ser observadas um conjunto de “tecnologias para produção, distribuição e armazenamento de energia elétrica renovável, bem como equipamentos para aproveitar a energia térmica, nomeadamente os fornos solares”.

Em Abril do ano passado, a Câmara Municipal do Seixal assinou um contrato no âmbito do projeto Laboratórios Vivos para a Descarbonização (LVpD) que vai permitir a implementação de 12 projetos junto à Baía do Seixal, entre a Praça 1.º de Maio, no Seixal e a Rua dos Operários, em Amora, numa extensão de cerca de 4 quilómetros.

Na calha está um “investimento na ordem dos 2,5 milhões de euros”, que surge como resultado de uma candidatura que a autarquia apresentou ao Fundo Ambiental e que incentiva à criação de espaços de promoção de tecnologias inovadoras de baixo impacto ambiental, de solidificação de princípios de uso eficiente e produtivo de recursos materiais e energéticos e da apropriação das mais-valias económicas e ambientais de novas soluções por parte das comunidades e populações, visando mitigar as alterações climáticas.

Fonte: Diário da Região

Aplicativos


 Locutor Ao vivo


AutoDJ

Varios

Peça Sua Música

Nome:
E-mail:
Seu Pedido:


Top 5

01.

Contra Ponto

02.

TOY

03.

Dinis Brites

04.

Doellinger

05.

Gilberto Amaral

Anunciantes